Park Güell


No dia seguinte fomos visitar este enorme e lindíssimo parque de arvoredo frondoso infindo, que se espraia por várias colinas, no topo de uma das quais se encontra um miradouro com uma espectacular vista sobre a cidade:


Perdida no meio deste parque encontra-se a casa que Gaudi habitou, desenhada por ele, e que agora alberga um museu dedicado ao arquitecto:

Por entre os bosques despontam arcadas de pedra de construção bizarra, que te fazem sentir teletransportado para um mundo alienígena, digno de uma fantasia de Bilal:


Espreitando sobre um muro no limite do parque abarcamos uma nova vista da cidade, dominada em primeiro plano por esta casa completamente grafitada:

E no coração do parque Güell, mais uma bizarria arquitectónica interessantíssima:

No topo temos um terraço onde nos podemos sentar a apreciar a paisagem ampla:

E por baixo, uma galeria improvável suportada por colunas de pedra, onde um artista toca guitarra clássica e o som dos acordes ecoa pelas paredes criando uma atmosfera de grande misticismo.

Descendo um pouco chegamos à saída do parque, guardada por mais um par de construções completamente aberrantes:

O parque está recheado de vendedores de bijuterias, instrumentistas e cantores que aproveitam a acústica magnífica dos nichos de pedra para criar um ambiente mágico de grande musicalidade.

E por todo lado se vêem mulheres lindas, afogueadas com o calor insuportável e por isso com muito pouca roupa.

1 comentário:

Vanessa disse...

deve ser um espectaculo!!! ainda bem k o Gaudi n batia bem da cabeça loooool