O povo da Catalunha

Saímos do aeroporto já eram umas 11 da noite e queríamos ir para A Rambla, a mais famosa avenida da cidade de Barcelona, na qual o nosso hostel estava localizado.

Já estávamos a pôr a bagagem dentro da mala de um táxi quando ele nos disse que ia ficar para aí em 30 euros.

Depois disseram-nos que podíamos apanhar o autocarro ali ao fundo. Já estávamos quase a chegar ali ao fundo quando a rapariga que nos tinha dito para irmos ali ao fundo surgiu a correr a dizer que estava um outro autocarro prestes a partir numa outra paragem, no sentido oposto.

Por isso corremos com as nossas enormes mochilas desde lá do fundo até ao sítio que ela apontou para podermos ver o autocarro a ir-se embora e depois voltámos lá para o fundo de novo.

No autocarro atestámos uma realidade que nos era completamente desconhecida: espanhóis que falavam num timbre contido e respeitador, que não esbracejavam como labregos nem gritavam ao falar uns com os outros. Era uma coisa a tal ponto que chegámos a sentir que aquilo até podia ser gente decente!

Mais surpreendidos ficámos quando ao fazermos uma pergunta, o espanhol respondeu-nos tentando falar português, uma coisa inconcebível nas nossas cabeças.

Mais tarde percebemos que não estávamos em Espanha, mas sim na Catalunha.

Assim foi destruída a primeira de muitas concepções erradas que tínhamos acerca do mundo. Na verdade, este foi um dos aspectos mais proveitosos de toda a viagem, percebermos o quão ignorantes éramos acerca de uma data de coisas.

Descobrimos que os espanhóis não são todos umas bestas barulhentas e irritantes. Esses são os Andaluzes, os que vivem ao nosso lado. Mais para longe consegue-se encontrar gente que nem dá vontade de bater.

Chegaria até ao ponto de dizer que os catalães são boa gente!

Como é sabido, em Espanha o regionalismo é exacerbado. Os catalães não falam castelhano, falam catalão e por isso tudo o que é informação escrita está traduzida nestas duas línguas. Isto é particularmente engraçado porque são línguas praticamente idênticas, é como traduzir português para brasileiro - uma completa inutilidade, um desperdício de tempo, dinheiro, espaço, papel, eu sei lá.

Espanhóis, vá-se lá percebê-los...

1 comentário:

cláudio correia disse...

boas o catalão é muito diferente do castelhano nao tem nada a ver! eu costumo ter contacto com catalães e acredita em mim quando eles falam na lingua deles ninguemos percebe! ja em castelhano até passa!
Deve ter sido fixe o inter rail e começas logo pela cidade que mais curiosidade me desperta e que eu adorava visitar!